Planejamento sucessório

Planejamento sucessório

Há assuntos dos quais não gostamos e, em muitos casos, evitamos falar e até pensar, ainda que sejam de extrema importância, como é o caso do planejamento sucessório .
Independentemente de gostarmos ou não, há coisas que são inevitáveis na vida e devemos nos preparar da melhor forma, inclusive cuidando de detalhes que ajudarão nossos herdeiros a lidarem com a situação de maneira mais tranquila.

O que é o planejamento sucessório?

Chamamos de planejamento sucessório certas estratégias adotadas em vida para que a transferência dos bens adquiridos aos herdeiros não seja envolta em conflitos familiares e disputas intermináveis na Justiça para saber quem são os beneficiários e como será distribuída a herança deixada.
Outro bom motivo para que você faça o planejamento sucessório é o custo, que é menor do que um inventário.

Além disso, sabe-se que há um número considerável de empresas que terminaram por encerrar suas operações porque o CEO faleceu e ninguém estava apto a dirigir a companhia em seu lugar.

Quem inicia um negócio quer que, de fato, ele prospere e fique depois para sua família. Mas se não houver alguém capacitado para gerir a empresa, significa que o proprietário trabalhou com afinco, construiu todo um patrimônio e, de uma hora para outra, tudo foi desfeito.

Se você não deseja que algo semelhante ocorra com o seu patrimônio, faça um planejamento sucessório. Para isso, siga esses passos:

  1. Patrimônio. A primeira coisa a ser feita é uma relação de todos os bens de que dispõe: imóveis, cotas de participação em empresas, joias, objetos raros, veículos etc.;
  2. Herdeiros. Esse é o momento de listar os beneficiários, que podem ser tanto familiares como filhos, cônjuge, parentes, e mesmo amigos e instituições que desejar, sendo que 50% são de direito dos chamados herdeiros necessários e 50% fica a critério do titular do patrimônio, ou seja, ele pode beneficiar quem ele quiser;
  3. Métodos de transferência. Agora, deve-se escolher uma das opções legais existentes para concretizar a transferência.
    É nesse ponto que você precisará de uma ajuda especializada , ou seja, de um advogado .
    Por conhecer as leis que regem diversas áreas, como a trabalhista, familiar, tributária, empresarial e cível, por exemplo, um escritório de advocacia saberá avaliar seu caso com todas as particularidades e ângulos possíveis a fim de ajudar a definir qual ou quais as melhores opções para você.

Quais as opções de planejamento sucessório?

A legislação brasileira possibilita diversas formas de efetivar esse planejamento. Vejamos algumas delas:
• Testamento;
• Holding Familiar;
• Previdência Privada;
• Doação em vida com ou sem usufruto dos bens;
• Seguro de vida.

Note que determinados meios são mais simples, porém não se aplicam a todos os bens.

A aplicação da lei para cada um deles também sofre variação quanto a exigências, valores e detalhes que só um advogado conhecerá a fundo.

A contratação desse profissional é imprescindível para garantir que tudo seja feito dentro da legalidade e saia conforme o estabelecido, considerando que a intenção de fazer um planejamento sucessório seja reduzir custos, evitar a dilapidação do patrimônio e minimizar a dor de quem já está sofrendo com a perda de um entre querido.

Por esse motivo, você precisa conhecer os especialistas da Veros Advocacia , uma vez que o escritório atua nas mais variadas áreas do Direito e tem ampla expertise para ajudá-lo a escolher a melhor opção para fazer o planejamento sucessório e com menor custo tributário.

Conheça mais sobre a Veros Advocacia acessando nosso site , Instagram e Facebook . Aguardamos seu contato.

    Leave Your Comment Here